Saiba o que é a pratica da arte da terapia com os aromas – a aromaterapia,

1
Texto de Vera Lucia Guedes.
  

É uma pratica terapêutica que faz uso de substancias aromáticas, ou seja, óleos essenciais,  extraidos de plantas  para tratar pessoas que estão em busca de uma proposta de vida mais ajustada  para com as demandas da vida moderna.

 
Bem estar, harmonia, equilíbrio, saúde  através do melhor gerenciamento do estresse e mais qualidade
de vida são os principais benefícios obtidos com o  uso dos óleos essenciais. 
Os óleos essenciais utilizados na pratica da aromaterapia são providos de substâncias ativas curativas (moléculas aromáticas), produzidos nas plantas no seu metabolismo secundario, com o propósito de oferecer as plantas proteção contra predadores, polinização, ação curativa e muitos outros benefícios os quais também oferecem ao ser humano, quando os útilizamos com o propósito de nos mantermos bem e saudaveis. Os óleos essenciais oferecem ao corpo humano tudo que já praticou nas plantas, ou seja, a cura para muitos de nossos desajustes físicos e proteção para nossa existência no plano físico.
 

 

Os preciosos óleos essenciais, substância liquida química volátil, podem ser encontrados em diversas partes das plantas que são produtoras desta substância tais  como  folhas, flores, frutos, cascas, sementes e raízes. Suas moléculas aromáticas são extremamente potentes – bastam poucas gotas do óleo escolhido para o tratamento, para serem obtidos resultados terapêuticos positivos e expressivos. Uma gota de óleo essencial, segundo Dr. David Stewart, contém 40 quinquilhões de moléculas aromáticas, isto já diz muito sobre a capacidade desta poderosa terapia.

 

Plantas providas de substâncias aromáticas têm sido usadas pela humanidade com variados propósitos por muitos séculos  – os povos antigos, como os persas, egípcios, chineses, gregos, romanos e outros as usavam freqüentemente por seus poderes  curativos, no tratamento de doenças comuns e como mantenedoras da saúde.
 

 

 

Na culinária, eram usadas para conferir sabor aos alimentos e ajudar no processo digestivo e muito mais, eram também usadas como conservantes dos alimentos, especialmente carnes e produtos derivados do leite.
 
 
 
Sempre tiveram imenso significado espiritual e eram utilizadas em ritos religiosos; estas substâncias tinham seu lugar garantido na vida das pessoas e nas comunidades – as ervas e resinas aromáticas eram queimadas com propósito definido, em adoração às entidades divinas para o estreitamento dos laços entre o Humano e o Divino, bem como para manter a proteção contra o mal e com o propósito de expulsar espíritos malignos.

Nos dias atuais, as plantas que contem óleos aromáticos são altamente valorizadas por sua composição química – são consideradas fontes vivas de substâncias curativas, comprovadamente adstringentes, anti-sépticas, analgésicas, anticancerígenas, antidepressivas, ansiolíticas, calmante para os nervos,  digestivas, germicidas, expectorantes e mucoliticas, equilibradores hormonais, relaxantes, restauradoras de células danificadas e muito mais. São verdadeiras fontes de cura provenientes da Mãe Natureza.

 

O profissional qualificado saberá indicar, através do uso tópico (uso externo), os óleos essenciais apropriados para cada indivíduo, pois na prática da Aromaterapia procura-se, sempre que possível, não oferecer fórmulas prontas – cada ser humano responde aos estímulos externos e internos da vida, de forma completamente diferente.

 

A pratica da Aromaterapia é holística – trata cada um como um Ser Único, não como elementos de uma produção em série.

1 comentário

Deixe uma resposta