Sangue de Dragão

2

De Fabian Laszlo

O sangue cicatrizante da floresta

O sangue de dragão é uma seiva obtida de uma árvore da Amazônia com inigualáveis propriedades terapêuticas. Em cosméticos além de aumentar a síntese de colágeno reduzindo a formação de rugas, age protegendo a pele contra os raios UV e promove seu rejuvenescimento. Pesquisas realizadas pelo Dr. John Wallace da Universidade de Calgary no Canadá mostraram que, de fato, ele é um potente inibidor da inflamação e da dor, sendo o alcaloide taspina o responsável pelo sua atividade anti-inflamatória em específico. Segundo Wallace, “não somente o sangue de dragão previne a sensação da dor, mas também bloqueia a resposta do tecido a químicos liberados pelos nervos que promovem a inflamação. Não existe na atualidade médica nenhuma outra substância que nós conhecemos que possua estas mesmas atividades”. Em testes laboratoriais, o grupo de pesquisadores de Wallace demonstrou que o sangue de dragão bloqueia topicamente a ativação das fibras nervosas que liberam sinais de dor para o cérebro, funcionando como um assassino da dor.
Para ler mais, baixe o artigo completo com referências no pdf abaixo.

Croton lechleri 1 SCF Sangra d'agua Croton urucurana

 

 

sangue_dragão_arvore0
Formas de uso conforme a fitoterapia:
Externo:
Para passar sobre o ferimento e queimaduras, spray: 10 gotas diluídas em 100mL de soro fisiológico (pode acrescentar 5 gotas de OE de mirra), borrifar na área 2-3 X ao dia.
Em ferimentos pequenos e aftas pode também aplicar puro.
Para higiene íntima feminina: colocar 8 gotas em meia xícara com água e aplicar com algodão, ou fazer lavagens com 15 gotas em uma vasilha de assento.
Em cosméticos 25-45 gotas para cada 100g de creme. Em géis ou cremes para alívio de dores e inflamações: 1-3% (22-66 gotas em 100g).

2 Comentários

Deixe uma resposta